Home

Home
"Bem-Vindo!"

   

   
"Não posso estar fraco e triste, pois a alegria do SENHOR é a minha força"

  

  
"É possível ofertar sem amar, mas é impossível amar sem ofertar"

Prêmios Recebidos

Prêmios Recebidos
"A terra é insultada e oferece suas flores como resposta."

Duas Vezes Meu!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009


Hoje, peguei-me saudosa... "Saudade" pra mim é como uma espada de dois gumes; ao mesmo tempo traz sorriso de alegria, como também, lágrima de tristeza.

Lembrei com alegria dos tempos de professora da classe infantil da Escola Bíblica Dominical. Ahhhhhhhhhh! Que tempo bom! Tempo que não faltava tempo pra criar e me envolver totalmente, no mundo doce e colorido dos amados “Cordeirinhos de Cristo” – nome da minha classe.

Criava... inventava... Tudo para alcançar o objetivo - alcançá-los pra Cristo. Que saudade!
Havia uma estória preferida que eu contava pra eles e que jamais saiu da minha mente...

A estória de Pedrinho, um menino muito alegre e esperto que morava em uma praia bem distante, junto com seu pai, um senhor muito humilde.

Pedrinho, como todas as outras crianças, amava brincar, porém as condições financeiras de sua família o impediam de ter os brinquedos que as outras crianças possuíam. Então ele resolveu criar o seu próprio brinquedo. Como seu pai era carpinteiro, o menino resolveu juntar uns pedaços de madeira para construir um barquinho...

E lá foi ele... Dias de dedicação e empenho até que aquela madeira começava a tomar forma de barco. Pedrinho perseverava em sua criação, aperfeiçoando-a a cada dia. Até que, finalmente, deu-lhe o acabamento: uma bela pintura azul com preto, e as iniciais de seu nome em branco...

A alegria do menino não tinha dimensões. Todos os dias ele ia até a beira da praia, logo pela manhã e à tarde novamente, só para poder brincar com seu barquinho.

Em uma manhã comum como todas as outras, levantou-se e, após tomar café gostoso, saiu com seu amado barquinho em baixo do braço. Chegando à praia, logo começou a brincar dentro da água, até que veio uma onda muito grande de surpresa, que levou seu barquinho embora. Pedrinho até tentou nadar para buscá-lo, porém, inutilmente: seu barco já estava longe demais, o que o deixou extremamente triste, voltando para casa aos prantos...

De tanta tristeza, não conseguia dormir direito, nem tinha mais vontade de comer. Seu pai sugeriu que ele fizesse outro barco e até mesmo se propôs a fazê-lo, mas o menino estava convencido de que nada poderia substituir seu antigo brinquedo...

Mas certo dia, o menino caminhava pela rua e, de repente, parou perante a vitrine de uma loja de brinquedos. Ficou ali a observar os carrinhos, os aviõezinhos e um barquinho... Um barquinho?! Mas como podia ser? Estava ali o barquinho que ele fizera com tanto esmero! Sim, ali na loja, para ser vendido.

- Como? – questionava-se.

Então, vibrante de alegria, entrou na loja e perguntou à atendente:

- Moça, quanto custa aquele barquinho ali da vitrine?

A moça lhe respondeu:

- Não meu filho, aquele é uma raridade. Foi encontrado por uns pescadores na beira da praia. Não sabemos por quem, nem em que ano foi fabricado. Ele é uma preciosidade e por isso custa muito caro. Mas não se preocupe, eu tenho alguns mais baratos, tenho o último modelo de aviões a pilha que até voam, tenho carrinhos...

- Não! – Respondeu num grito. - Eu quero aquele ali, não importa quanto custe. Pode dizer o valor que eu vou dar um jeito de conseguir o dinheiro.

- Esqueça querido! – Fala a atendente, já um pouco irritada. – Você não irá conseguir pagar e nós não vendemos fiado!

Então, o menino diz, decididamente:

- Quanto custa? Eu já disse que estou pronto a pagar o preço que for.

- Tudo bem custa $150.

- Então ta! – Respondeu Pedrinho.

Chegando em casa, Pedrinho procura por todos os lados do quarto onde estão guardadas suas economias. Depois de encontrar algum dinheiro, pega suas figurinhas raras, suas roupas mais novas, sua bola de futebol, seu vídeo game e monta uma barraca em frente a sua casa, onde consegue vender tudo e arrecadar mais dinheiro.

Mas ainda lhe falta um pouco. Então o menino se lembra de um tio seu que tinha um mercado, vai lá e oferece-se para ajudar em troca de alguns trocados.

Depois de uma semana, conta seu dinheiro: exatamente os $150 de que precisava para realizar seu sonho.

No dia seguinte, antes que a loja abrisse, lá estava ele esperando na porta com o dinheiro nos bolsos.

Chega à funcionária, abre a loja e logo fala:

- O que você quer de novo? Você não desiste, hein?

- Realmente, não desisto! – E falando isso, começa a tirar dos bolsos todo o dinheiro.

- Mas como você conseguiu? Menino, fale a verdade. De quem você roubou isso? – Diz a funcionária, relativamente assustada.

- Não roubei de ninguém. Eu mesmo consegui. Agora a senhora pode, por favor, me vender o barco?

Após comprá-lo, o menino nem se contém de tanta euforia. Então finalmente, com o brinquedo nos braços, vai contente para casa dizendo:

- Barquinho, agora você é duas vezes meu: em primeiro lugar porque eu te fiz e em segundo porque eu te comprei!”.


Essa é a nossa história de vida. Somos como aquele barquinho...

Um dia, Deus fez o homem com muito amor e carinho, mas a tempestade chamada pecado, nos separou do Criador. Mas Ele teve um plano infalível... Enviou Jesus Cristo, Seu filho; e foi através do Seu sacrifício de Amor na cruz do Calvário, pode trazer o homem de volta para os braços do Criador.

Ainda existem muitas pessoas que estão distantes dEle... Deus espera ansiosamente, para tomá-los de volta em Seus braços de Amor...

Uma vez em Seus braços... Estarão seguros para sempre!

8 comentários:

Evinha disse...

Olá Márcia,
Encontrei seu blog num site de busca e gostei do seu blog. Te add e quero manter contato. Sou profª da EBD e já conhecia essa estoria citada por vc. Sou de Itaguaí.
Jesus te abençoe
Eva

30 setembro, 2009
Lucio Mauro disse...

Marcia,
Como vai minha irmã?
Dues continue te usando para honra e glória de Cristo Jesus,
Ando ausente da net. Estou sem pc. Ore por mim
Lúcio

01 outubro, 2009
Nice disse...

Oi amadinha!
Que linda estória. Só em saber que Jesus fez isso por nós é de nos levar a adoração a cada instante de nossas vida.
Um beijo grande

01 outubro, 2009
estudosbiblicosbatistas disse...

Querida amiga. Que Deus seja cada vez mais louvado aqui no seu site.
Shalom pra vc

01 outubro, 2009
André disse...

PASSEI AQUI,
A CADA DIA NO MEU VIVER EU PRECISO AGRADECER POR TÃO GRANDE SALVAÇÃO. EU NÃO MERECIA, MAS ELE TEVE MISERICORDIA DE MIM ME DANDO VIDA ETERNA.
ABÇO MARCIA

01 outubro, 2009
Márcia Correia disse...

Gente querida...

Evinha, Lúcio, Nice, Estudos Bíblicos e André,
Obrigada "MAIS" uma vez a presença de vocês aqui...
Que o Senhor os abençoe além do que cada um possa imaginar,
Shalom

Denise Malafaia Cerqueira disse...

Olá, querida Márcia!
Entrei e amei seu blog e compartilho da mesma saudade...não só de quando ministrava às crianças, mas também,da minha infância e, dessa, e de todas as histórias que nos fazem viajar no amor e nas provisões de Deus pra nós...aleluia!
É..."quero trazer à memória aquilo que pode me dar esperança."
Vou ficar vindo sempre aqui e desfrutar das belezas de Cristo nas suas mensagens.
Bjs e paz!

01 outubro, 2009
Márcia Correia disse...

Denise...
Que bom que você compartilha comigo, das mesmas coisas que surtiram tanto efeito no passado com reflexos no presente/futuro; nas nossas vidas e nas vidinhas dos pequeninos... Alguns já são casados e com filhos e quando nos encontramos, muitos deles, mostram suas bíblias que foram ganhas na EBD por memorização de versículos... ai que tempo gostoso e difícil de esquecer!
Volte sempre e compartilhe comigo das bênçãos...
Deus te abençoe querida!
Shalom

Postar um comentário

Palavras são sementes!
Obrigada pelas sementes lançadas aqui no blog DEVOCIONAIS.
Deus te abençoe...
Shalom

 

Copyright © 2008 - 2009 ·Devocionais